Concessionária Autorizada Honda Motos em Foz do Iguaçu e Medianeira, Paraná.

Por Motec 24.04.2020

Se você tiver que deixar sua moto parada por meses sem funcionar, quais os riscos para os componentes da moto? O que fazer para minimizar eventuais problemas que podem ocorrer nessa situação?  Listamos abaixo alguns cuidados que devem ser tomados para, na volta, não encontrá-la com danos permanentes.

Riscos para os componentes da moto

  1. Bateria - poderá apresentar perda de carga e não recuperar novamente, chegando a impossibilitar a partida da moto;

  2. Pneus - sofrerão alterações de pressão, esvaziando e também poderão aparecer rachaduras por ressecamento;

  3. Combustível - perda das propriedades do combustível e parte de sua eficiência;

  4. Tanques – em motos que têm tanque de metal, poderá ocorrer oxidação em suas paredes;

  5. Óleo lubrificante - poderá sofrer escoamento total para o cárter, ocasionando em alguns casos o descarregamento de tuchos hidráulicos e mancais, comprometendo a vida útil do motor no momento da nova partida. Além disso, o óleo tem oxidação natural, o que com o tempo poderá provocar desgastes;

  6. Pintura - se estiver em ambiente externo poderá sofrer danos em decorrência de depósito de fuligens ou incidência direta do sol. A utilização de capas impróprias, que formam câmaras de umidade, podem causar danos ao verniz;

  7. Discos de freio – oxidação, principalmente em regiões litorâneas (maresia), o que provoca pequena deficiência momentânea nas primeiras frenagens;
     
  8. Borrachas - deterioração nas borrachas em função do contato com o ozônio do ar.

O ideal seria que ao menos uma vez na semana alguém ligasse a moto por pelo menos uns quinze minutos e a movimentasse alguns metros, mas isto nem sempre é possível. E o que fazer para minimizar os problemas acima? Abaixo listamos algumas dicas que podem ser úteis caso precise deixar sua motocicleta um tempo parada.

Como reduzir os riscos para os componentes da moto

  1. Bateria - Retire o fusível central, geralmente o de maior tamanho. Assim, todo o sistema elétrico ficará desligado enquanto a moto estiver parada. Depois, desconecte primeiro o pólo negativo e depois o positivo. Desta forma estará poupando a vida útil da bateria.

  2. Pneus - Levante a moto, de preferência usando um macaco, evitando neste caso que a parte de apoio dos pneus fique deformada. Lembre-se de colocar a trava de segurança do macaco, se houver. Deixe-os com uma calibragem entre 20% e 30% acima do recomendado no manual.

  3. Óleo do motor - a recomendação é trocar o óleo a cada seis meses, ou trocar o óleo de todas as peças antes que o motor volte a funcionar.

  4. Fluído de freio - também tem características higroscópicas (absorve umidade), necessitando a substituição do fluido assim que possível, principalmente se o veículo estiver parado por mais de um ano.

  5. Disco de freio - se a sua moto tem trava de freio, que funcionam como o freio de mão dos carros, deixe-a destravada. Ao voltar a usar a moto, experimente os freios com cautela e de forma suave para não ter surpresas de pinças e cilindro de rodas travarem.

  6. Ambiente de guarda da moto - evite contato direto com o ambiente (chuva, sol, poluição e umidade). Se for utilizar capas de proteção, fique atento , pois capas sem forração interna apropriada, associada à umidade e ação do sol poderão provocar manchas no verniz da pintura. Procure, se possível, um ambiente sem insolação e sem umidade.

  7. Outros itens a observar - Faça uma checagem completa na pintura, pneus, borrachas e motor. As correias e correntes podem sofrer deterioração após muito tempo paradas, necessitando uma verificação especial.

 Dependendo das condições e modelos, a moto pode ter mais ou menos problemas se ficar muito tempo parada. A recomendação é que após um longo período parada, mesmo seguindo essas dicas, seja feito um check-up completo e nós, da Honda Motec estamos a disposição. Faça o seu agendamento!